NOTÍCIA


Crédito: Pixabay

Talvez você perceba que somos mais de 200 milhões de pessoas, o quinto maior país do mundo

EM FOCO - PERSPECTIVA

Brasileiro, empresário, executivo e profissional da construção, vamos acordar?


BRASIL - POR REGIS GEHLEN OLIVEIRA - Olhe bem à sua volta: o que enxerga? Você acorda, logo cedo, liga a luz do quarto, distribuída por uma empresa estrangeira, pega no celular de empresa estrangeira e clica num aplicativo estrangeiro. Vai para o banho com sabonete de marca estrangeira, e durante a barba ou maquiagem vê-se no espelho com um produto estrangeiro. Escova os dentes com marca estrangeira. Vai tomar café com cápsula ou coador estrangeiro. Abre o leite ou o iogurte de marca estrangeira comprado numa rede de supermercados estrangeira. Pega o detergente e vê que é de uma empresa estrangeira. A roupa suja da semana, de grife estrangeira, com "I love algo", coloca na máquina estrangeira com um sabão que lava mais branco com cores estrangeiras.

Sai de casa. Pega o carro de marca estrangeira, ou um ônibus ou metrô com carroceria de empresa estrangeira. No meio da manhã, como lanche, pega um salgadinho de marca estrangeira, embalado em plástico produzido por empresa estrangeira. Paga com cartão de crédito de bandeira estrangeira. No almoço, pede um refrigerante estrangeiro ou, no país com mais água no mundo, uma mineral com fonte dominada por estrangeiro. Atende o telefone com sinal fornecido por uma empresa estrangeira.

À noite vai ao cinema para ver um filme estrangeiro, ou fica em casa vendo na TV de marca estrangeira um dos canais a cabo estrangeiros com um programa sobre futebol estrangeiro ou reforma de casas estrangeiras. Para relaxar, antes de dormir, ouve uma música estrangeira em um equipamento estrangeiro baixada de uma plataforma estrangeira.

Em algum momento do dia, você lê num monitor de computador estrangeiro, ou num jornal impresso em papel estrangeiro com tinta estrangeira, que as 67 pessoas mais ricas do mundo, donas das empresas estrangeiras, possuem metade da renda do mundo, gerada por 3,5 bilhões de pessoas. Talvez você note que, de forma direta ou indireta, trabalha para essas 67 pessoas, em alguma atividade subalterna, sem receber a mesma proporção da renda delas. Talvez você perceba que uma parte das matérias primas e do trabalho usados por essas marcas estrangeiras são dos brasileiros. Talvez você perceba que somos mais de 200 milhões de pessoas, o quinto maior país do mundo. Talvez você perceba que a energia para as atividades do dia veio do petróleo ou dos recursos hídricos brasileiros. Talvez você perceba que a sua casa, ainda, foi feita por uma empresa ou trabalhadores brasileiros, com cimento, tijolos e aço brasileiros. Ainda...

Mas não sei se você, como no início do texto, acordou. Talvez, por um lapso brasileiro, fique cantando a música brasileira da Marisa Monte e do Arnaldo Antunes: "Porque ninguém / Dava nada por mim / Quem dava, eu não tava a fim / Até desacreditei / De mim".


Eng. Regis Gehlen Oliveira é diretor da ConVisão-CNC. É empresário há 27 anos, formado em engenharia na Poli-USP e especializado em administração de empresas pela FGV-SP. Foi subprefeito e diretor superintendente de obras do município de São Paulo. Foi fundador e coordenador geral do Construética (Comitê de Práticas e Ética na Construção) e vice-chairman do Comitê de Construbusiness da Amcham (Câmara Americana de Comércio).


Mais...
ComentarTirar
Dúvida
Seguir
Por
E-Mail
Ver
Mais
Notícias
Captar
Mais
Obras

PUBLICAÇÃO DE 6 DE JULHO DE 2018


Ver mais notícias


Compartilhar

Tags  em foco, perspectiva, convisão, brasil, br, brasil, economia e política


Pesquisar na CNC e na ConVisão

Seguir a CNC nas redes sociais

        

  © ConVisão | Desde 1991